Arquivo da tag: mendoza

BODEGA SALENTEIN – VALLE DE UCO

SALENTEIN

Ter a oportunidade de conhecer a região de Mendoza na Argentina é um prazer enorme, mas quando você vai além e explora as várias zonas produtoras de vinhos e se depara com a região do Valle de Uco, que numa primeira tomada parece ser tudo igual, mas se prestar bem a atenção verá como esta zona é especial.

Mais especial ainda é no meio deste oásis você encontrar não só mais uma bela Vinícola como tantas outras nesta região, mas encontrar um produtor de vinhos que tem o respeito pelo que faz e busca fundir o vinho, arte, gastronomia e uma boa vida.

A chegada ao Valle de Uco é sensacional, a Cordilheira dos Andes aparece e mostra toda a sua grandeza, os vinhedos estão expostos a uma altitude de aproximadamente 1.050 a 1.700 metros de altura, tendo como referência máxima os vinhedos da Finca São Paulo.

Os vinhedos da Salentein se beneficiam basicamente de duas vantagens, a água proveniente do degelo e sua amplitude térmica, que chega aproximadamente a 20º C. A estrutura montada para realizar todo o processo do vinho é espetacular, pois a vinícola foi criada para facilitar todo o processo de produção. Ela está centralizada no meio do vinhedo e em formato de cruz, afim de facilitar todo o manejo das uvas que chegam após serem colhidas, e cada ala mantem uma pequena bodega com dois níveis. No primeiro estão os tanques de aço inoxidável e as cubas de carvalho, onde são realizados todo o processo de fermentação. Um nível mais abaixo estão as barricas de carvalho que são utilizadas para o aprimoramento dos vinhos. Tudo isso é feito de forma gravitacional, ou seja, todo o processo de transferência por gravidade.

MENDOZA 216

Há ainda uma câmara central circular, parecido com um anfiteatro, construída lembrando os povos da antiguidade como inspiração.

Vinícola moderna, mas também inspiradora, combina a arte de fazer bons vinhos com arquitetura, arte, uma boa comida e uma capela, gostou? Mas ainda tem mais, pois também são disponibilizados para poucos visitantes a pousada com uma estrutura magnífica, de tirar o fôlego de qualquer enófilo.

Seleção de vinhos com a marca Salentein:

  • Killka (Vinho da linha jovem)
  • Portillo (Vinho da linha jovem)
  • Salentein Espumantes
  • Salentein Primus (Edição Limitada)
  • Salentein Single Vineyard
  • Salentein Reserva
  • Salentein Numina

MENDOZA 213

Dica: Me encantei com um vinho de entrada, da “linha Jovem“ Portillo Sauvignon Blanc, se tiverem oportunidade prove-o com um queijo de cabra.

FRASE: “ O consumidor é mais inteligente e mais culto do que pensamos. Ele pode começar com vinhos simples, mas não para por aí, quer saber cada vez mais e encontrar coisas que contam uma história”. Alberto Antonini – Enólogo e produtor.

Se for a Mendoza não deixe de conhecer a Bodega Salentein em Valle de Uco!

 

www.bodegasalentein.com

 

 

By Edson Mauricio

Saúde!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em emvinhos.wordpress

BODEGA TRAPICHE – CENTENÁRIA ARGENTINA

ENTRADA TRAPICHE

Conheci Daniel Pi (Enólogo) em um destes eventos de vinhos que ocorrem em São Paulo, fez uma apresentação muito detalhada da região de Mendoza e do que significa não só para os argentinos, mas para o mundo do vinho a forma ou o conceito de se produzir bons vinho.

No final da apresentação tive a oportunidade de me aproximar e conversar um pouco em separado com o enólogo. Foi de uma simpatia impressionante a ponto de me dar um cartão de visitas e me dizer: quando for a Mendoza me procure para que possamos lhe mostrar nossa bodega, realmente encantador!

E você duvidou? E eu fui sim…

A chegada na Bodega Trapiche é monumental, de cara você encontra um prédio belíssimo e é recebido com toda simpatia, assiste a um vídeo numa sala estilo teatro contando um pouco da história centenária desta bodega.

Depois fomos conhecer as instalações numa atenção só, ouvindo com todo cuidado para que não perdêssemos nada. Uma curiosidade observada, foi ao olharmos a sala de barricas que estava logo abaixo de nossos pés, visto através de um piso de vidro, magnífico! E o museu do vinho, com várias peças antigas, mostrando para o público em geral um pouco do passado.

VINICOLA TRAPICHE

Na sequência partimos para o que mais nos interessava, a degustação dos vinhos. Mas antes de falarmos sobre o que provamos vale ressaltar que a Bodega Trapiche é uma gigante no mundo do vinho, faz vinhos para todas as classes e todos com o mesmo conceito, trazendo ao seu público vinhos de ótima qualidade.

Outra observação que fizemos é que parte dos vinhos são destinados a uma gama de vinhos orgânicos e biodinâmicos, o que despende de um investimento muito grande e equipes dedicadas.

O vinho mais aguardado era sem dúvidas o ISCAY, um corte de Merlot/Malbec 2007. Um corte fora do tradicional, pois é comum vermos a Malbec e a Cabernet Sauvignon na maioria das vezes como corte em Mendoza.

Realmente o Iscay Merlot/Malbec 2007 estava encantador, de um vermelho escuro, provavelmente em função da Malbec, brilhante, de um aroma delicioso, que fazia todos nós querermos cheirar novamente e tentar descrever todos aqueles aromas apresentados. Na boca mostrou toda a sua personalidade, com boa acidez e volumoso.

MENDOZA 024

Degustamos outros 4 vinhos e outro que mereceu todas as honrarias foi o vinho “Trapiche Malbec Viña Fausto Orellana de Escobar 2007” que traz o nome de um “Colaborador”, isso mesmo! A Trapiche faz uma espécie de agradecimento àqueles que colaboram e disponibilizam o seu “Terroir” para a produção de vinhos.

Mas tinha uma surpresinha sim, sabia que a Trapiche produzia um vinho doce, que na argentina chamam de “encabezado” e pelo que eu saiba ainda não é disponibilizado aqui no Brasil, trata-se de Profuso 2008.

A Trapiche está recheada de prêmios internacionais e em 2014, segundo a publicação da revista inglesa Drinks International, a Trapiche é a marca de vinho argentino mais admirada.

MENDOZA 031

Desde 2011 publicam um ranking chamado The World’s Most Admired Wine Brands e a Trapiche está na posição de no. 31, sendo a única bodega argentina dentro do ranking. Vamos acompanhar 2015.

By Edson Maurício

FRASE: “O DOCE BEBER QUE NUNCA ME TERIA SACIADO”. – DANTE ALIGHIERI, POETA ITALIANO (1265 – 1321).

Saúde.

Deixe um comentário

Arquivado em emvinhos.wordpress

CLOS DE LOS SIETE – A TERRA PROMETIDA

IMG_4915

Foi assim que o enólogo Michael Rolland convenceu outros sócios franceses lá pelo final da década de 80 a investirem recursos em um dos lugares mais espetaculares para a produção de vinhos na América do Sul, em Mendonça (Argentina), mais especificamente em Valle de Uco, chamada por ele de “A TERRA PROMETIDA”.

O projeto levou o nome considerando, clos (fechado em francês) e siete (sete em espanhol) sócios, sendo que até o momento estão quatro empreendimentos prontos, sendo a lindíssima Bodega DiamAntes a última, são eles:

  • Catherine Pèrè Vergè – Bodegas Y Viñedos Monteviejo (Argentina)
  • Bertrand y Jean-Guy Cuvelier – Cuvelier de los Andes (Argentina)
  • Alfred-Alexandre y Michèle Bonnie – Bodega DiamAndes (Argentina)
  • Dany y Michael Rolland – Bodega Rolland (Argentina)
  • Benjamin de Rothschild – Chateaux Clarke (França)
  • Laurent Dassut – Chateaux Dassault (França)

IMG_5601

Todas as bodegas tem um projeto arquitetônico que priorizam a beleza natural da região, são contornos que acompanham a Cordilheira dos Andes ao fundo, os extensos vales, com os vinhedos, tudo integrado a natureza desta região.

A tradição por elaboração de vinhos é antiga e vem de projetos de grande sucessos, seus sócios são proprietários de  grandes Chateaux na França. São familias que tem paixão e tradição familiar na elaboração de vinhos.

A Malbec é a expressão máxima na Argentina e tem a maior representatividade, são 450 ha plantados e acompanhados por

Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, también Petit Verdot, Cabernet Franc, Pinot Noir, Chardonnay, Sauvignon Blanc y Viognier.

O vinhedo foi dividido em sete lotes de similares extenções para os sete acionistas e ao mesmo tempo em pequenas parcelas de 1a 3 has, facilitando assim todo o processo de colheita e guarda dos vinhos em barricas.

IMG_4918

Os vinhedos são irrigados por gotejos e todo o processo de elaboração segue o máximo de perfeição, colheita manual em caixas, seleção dos grãos, transporte por gravitação até as cubas de aço inox e barricas de carvalho francês.

Para quem ainda não teve a oportunidade de visitar a região de Mendoza, o clima é seco, com uma amplitude termica grande entre dia e noite, o que só traz benefícios as uvas, os vinhedos estão entre 1000 e 1200 mts a nível do mar e os vinhedos de Clos de los Siete estão numa localização priveligiada, onde se obtem sol em todas as estações do ano.

Frase: “EM UMA MULHER, BUSCO BELEZA E SENSUALIDADE. EM UM VINHO, ESPERO O MESMO” – ROBERTO CAVALLI, DESIGNER ITALIANO.

Salud!

Deixe um comentário

Arquivado em emvinhos.wordpress

ACHAVAL FERRER

Vinícola boutique, charmosa e muito eficiente, dedicada a integrar de maneira natural todos os recursos para a fabricação de seus vinhos. Preservar a natureza é fundamental, assim posso descrever um pouco do que vimos e acompanhamos em visita realizada em 2011 para Mendoza – Argentina.

A vinícola está localizada em Lujan de Cuyo, dentro da parcela de terreno onde fica o vinhedo Bella Vista, as margens do rio Mendonza e com vistas para a Majestosa Cordilheira dos Andes (assim que ela é tratada).

A vinícola possui hoje quatro vinhedos importantes, alguns com parreiras centenárias, que são:

  • ·         Finca Altamira
  • ·         Finca Bella Vista
  • ·         Finca Mirador
  • ·         Finca Diamante

Tudo começou como se fosse um sonho, os amigos Santiago Achaval Becú, Manuel Ferrer Minetti, Marcelo Victoria e Diego Rosso e os italianos Tiziano Siviero e Roberto Cipresso, este último winemaker conhecido em terras toscanas, produtor de Brunello di Montalcino, resolveram criar a vinícola e trabalhar para elaboração de vinhos de excelente qualidade, de forma a que obtivessem vinhos de alta gama e reconhecimento no mundo inteiro.

Nossa visita transcorreu tudo em perfeita ordem, provamos vinhos maravilhosos, numa manhã agradabilíssima, mas tivemos uma grande surpresa, retirar da barrica um vinho que ainda estava “amadurecendo”, tratava-se do vinho “Finca Bella Vista 2010”, vinho ainda fechado nos aromas, mas demonstrando toda a sua classe.

Abaixo segue link para que você acompanhe a matéria que disponibilizamos sobre a nossa visita.

https://emvinhos.wordpress.com/2011/09/25/mendoza-el-mundo-del-vino/

Mas hoje gostaria de compartilhar com vocês o que a revista especializada em vinho Wine Spectator publicou sobre o “Finca Bella Vista 2010” e como estão se sentindo toda a equipe que trabalhou duro para este momento.

Palavras da Achaval Ferrer:

ESTAMOS FELIZES E DIVIDIMOS ISSO COM VOCÊS

Sentimos-nos honrados por sermos o Primeiro Vinho Argentino a alcançar este mérito.

A conceituada revista Wine Spectator, referência mundial na qualificação de vinhos, elegeu o nosso Finca Bella Vista 2010 como um dos 10 vinhos “top” do Mundo.

Se quiser saber um pouco mais sobre a vinícola, segue abaixo o link:

http://www.achaval-ferrer.com/eng/principal.html

Ficamos também muito felizes em compartilhar esta conquista e que tenham muito sucesso, pois a Achaval Ferrer já faz parte do nosso dia a dia.

Vinhos disponíveis:

  • ·         Finca Altamira – um varietal Malbec que expressa toda harmonia de solo, clima e vinha;
  • ·         Finca Mirador – um varieltal Malbec que também busca toda a expressão do “terroir”, vinhedo plantado a pé franco, na região de Medrano ao ano de 1921, nas margens do rio Tunuyán e de rendimento baixíssimo;
  • ·         Finca Bella Vista – um varietal Malbec que também busca toda a expressão de seu “terroir” vinhedo plantado a pé franco, na região de Perdriel ao ano de 1910;
  • ·         Quimera – aqui se busca o ideal (sonho), é o continuo trabalho para se criar um vinho cada vez melhor. A cada ano se busca trabalhar com as uvas (Malbec, Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Petit Verdot) no melhor de suas expressões.
  • ·         Malbec Mendoza – Vinho que expressa bem o que é um Malbec para “La gente”, pessoas que trabalham e convivem diariamente com o estilo de vida de seu povo.

Degustamos recentemente alguns dos vinhos citados acima e não poderia ser diferente a sensação de felicidade a cada gole. Importante aqui dizer que os vinhos foram decantados, para que expressassem todo o seu  glamour.

Vinhos degustados:

  • ·         Malbec Mendoza 2010
  • ·         Finca Altamira 2009
  • ·         Quimera 2009

 

FRASE: “AO PROVARMOS O VINHO, VISLUMBRAMOS, NA IMINÊNCIA DA NOITE, OS NOSSOS SONHOS” – D.H. LAWRENCE

 

Saúde

Deixe um comentário

Arquivado em emvinhos.wordpress

MENDOZA – LA CIUDAD

A 1ª Confraria de Guarulhos invade Mendoza (Arg) para conhecer de perto suas Bodegas, provar os seus vinhos, apreciar sua comida e conhecer um pouquinho de cada estória contada com muita paixão.

Mendoza territorialmente é muito grande, possui 148.827 km2, no centro-oeste do país, ao pé da Cordilheira dos Andes, rodeada pelas províncias de San Juan, San Luis e La Rioja, todas estas também muito ligadas ao vinho.

O clima é muito agradável, com pouquíssimas chuvas, o ar é bem seco, com muito sol durante o dia inteiro e a noite mostra outra beleza, um céu todo estrelado. A terra é muito seca, quase desértica, com a vegetação baixa, o que dá para imaginar o trabalho imenso e persistente de homens e mulheres para transformar o solo seco num oásis urbano, onde se torna agradável para viver e passear.

A Capital Mendoza foi fundada em 1561, muito próxima de onde é a cidade atualmente, dado que foi completamente devastada, 300 anos mais tarde da sua fundação em 1861 por um terremoto que este aliás já a atingiu outras vezes, mas nada aconteceu.

Mendoza é uma metrópole, que tem todos os serviços disponíveis de grandes cidades do mundo, com grandes ofertas de lazer e de alojamento. Lá você encontra desde albergues a hotéis de luxo, discotecas, parques, cozinha internacional, vários cassinos espalhados pela cidade, wine bar e uma rica atividade cultural e artística.

Caminhando pela cidade você percebe a forma planejada como a cidade foi criada, apesar de estarmos falando de uma terra quase desértica, Mendoza é totalmente arborizada, dado a técnica deixada pelos seus antepassados (Huarpes) que utilizavam técnicas de irrigação. Assim é a cidade de Mendoza, totalmente irrigada pela água do degelo e que corre as avenidas da cidade por um sistema de canal.

A cidade tem a maior participação na produção de vinhos do país, porém é dali que também saem diversos tipos de frutas, como uvas, pêssegos, maças, cerejas, legumes e azeites. Mas é o vinho é que está no centro das atenções. O país é conhecido pela uva Malbec, mas ali se produz também bom Cabernet Sauvignon, tempranillo, Merlot, Petit Verdot, Syrah, para falar das tintas, e as brancas Torrentes, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Chenin Blanc e etc.

Já na divisa com o Chile surge o imponente Monte Aconcagua, com seus 6.962 metros de altura, acompanhados de várias montanhas que nesta época do ano ainda se mantém coberto de neve, o que faz a alegria das pessoas que adoram a fazer um esqui na neve, ou simplesmente curtir a natureza.

Saúde

informações: www.turismo.mendoza.gov.ar

Deixe um comentário

Arquivado em emvinhos.wordpress